Revista Sucesso

Atualizado em 26/10/2016

Editorial

Uma mulher, pela primeira vez, na presidência da SBP

Editorial Sucesso ed. 158

Da redação

Professora Titular de Pediatria da Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Coordenadora Científica do Serviço de Pediatria do Hospital Aliança, Luciana Rodrigues Silva acaba de ser eleita a presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) para o triênio 2016-2019. É a primeira mulher a assumir o cargo máximo da SBP, sociedade centenária tradicional e da maior importância para as atuais e futuras gerações de pediatras brasileiros, na qual cerca de 70% dos associados são do sexo feminino.

Ela já presidiu a Sociedade Baiana de Pediatria (Sobape) entre os anos de 1994 e 1996. Atua na SBP há mais de 35 anos e por duas vezes foi vice-presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria, além de pesquisadora, tendo escrito oito livros na área pediátrica. 

A diretoria eleita congrega componentes de todo o Brasil, o que demonstra a preocupação em garantir voz e espaço a todos os estados. Os compromissos são baseados em valorizar mais o pediatra, melhorar e ampliar a educação continuada em todas as regiões do país, buscando analisar as características de cada região, que são bem distintas. Além disso, compromissos como melhorar e contribuir com as políticas públicas direcionadas para as crianças e adolescentes, assim como promover uma gestão mais dinâmica e descentralizada, com a participação de todos fizeram parte dos argumentos que levaram a doutora Luciana à presidência da SBP.

Os números no Brasil revelam que a luta das mulheres para superar as desigualdades de gênero alcançou, ao longo das últimas décadas, significativos avanços, mas a situação ainda está longe do cenário ideal. E, só para ilustrar, ressalto aqui o exemplo da doutora Luciana. Seja pelo preconceito arraigado ou pela dificuldade em conciliar trabalho e família, às mulheres são impostos obstáculos maiores para galgar cargos de chefia e ou para atingir os mesmos níveis salariais quando no desempenho das mesmas funções que os homens.

Até a próxima edição!

editorial, sucesso, mulheres e mercado, luta das mulheres, machismo arraigado
Mais lidas
  1. Soluções inteligentes e funcionalidade
  2. Educação Infantil: um mundo de descobertas
  3. Cuidar das articulações garante vitalidade
  4. Ouvir bem é vida
  5. Disfunção eréctil: será que vou ter?
Leia também
  1. Multidisciplinaridade, o olhar holístico que...
  2. Crescimento e problemas
  3. Profissão de estética está em alta
  4. Ler é mais do que importante, é imprescindível
  5. Moramos na cidade