Revista Sucesso

Atualizado em 24/02/2017

Estilo de vida

Praia Brava de Caiobá sedia última etapa do Raquetinha

Os veranistas que visitarem o litoral paranaense terão uma opção a mais para se divertir no feriado de Carnaval. Nos dias 26 e 27 de fevereiro, domingo e segunda-feira, o Torneio da Associação de Tênis de P

Da redação

 

Resultado de imagem para Raquetinha

Os veranistas que visitarem o litoral paranaense terão uma opção a mais para se divertir no feriado de Carnaval. Nos dias 26 e 27 de fevereiro, domingo e segunda-feira, o Torneio da Associação de Tênis de Praia (ATP) 2017 realizará sua etapa final, na Praia Brava de Caiobá. 

Sem restrição de idade, o tênis de praia é praticado em duplas, que são divididas em três categorias, por critérios técnicos. Ao todo, nas sete etapas já realizadas nesse ano, o evento contou com o recorde de participação de mais de 200 veranistas. O sucesso ultrapassou as expectativas da organização, que acabou ampliando o número de quadras para o tênis de praia.

O torneio conta com patrocinadores, como a Ademilar Consórcio de Investimento Imobiliário, que ajudam a garantir prêmios especiais aos jogadores. Neste final de semana, por exemplo, os vencedores de cada categoria serão premiados com um notebook. As duplas que se classificarem em 2º, 3º e 4º lugar, podem ganhar eletrodomésticos, eletrônicos, vouchers e muito mais.

Serviço:

Data: 26 e 27 de fevereiro (domingo e segunda-feira)

Local: Praia Brava de Caiobá

Inscrição: Realizada no sábado e no domingo, com o valor de R$ 35,00

 

revista sucesso, bem estar, Praia Brava, Raquetinha
Mais lidas
  1. Soluções inteligentes e funcionalidade
  2. Educação Infantil: um mundo de descobertas
  3. Cuidar das articulações garante vitalidade
  4. Ouvir bem é vida
  5. Disfunção eréctil: será que vou ter?
Leia também
  1. “A fotografia é como um pedaço de mim que...
  2. Consciência corporal, respiração e postura de...
  3. A Amazônia: Pulmão do Mundo ou Diferencial do...
  4. O Mundo Político no Cinema
  5. Qual o futuro das livrarias no Brasil?