Revista Sucesso

Atualizado em

Educação

Por que o Século XXI precisa de Tolstoi?

Poderia uma obra de 1886 ainda fazer sentido? Sim, não há outra resposta. Tolstoi traz nela todas as problemáticas do homem em relação à ganância e poder, embutido em nosso sistema político-econômico até o presente momento, no qual prejudica todas

Da redação

O livro "Em De Quanta Terra Precisa um Homem", de Denise Sales traz uma questão importante no posfácio. Por que o Século XXI precisa de Tolstoi? Diante de seu discurso, é perceptível que o mestre da literatura russa revestia-se de seu próprio discurso, era fiel àquilo que acreditava. Denise pontua: "Para ele, a felicidade de todos, e mesmo da família, devia basear-se no amor e na simplicidade. Por isso sua insistência em doar todas as propriedades, abrir mão dos direitos autorais de suas obras (...)."

Poderia uma obra de 1886 ainda fazer sentido? Sim, não há outra resposta. Tolstoi traz nela todas as problemáticas do homem em relação à ganância e poder, embutido em nosso sistema político-econômico até o presente momento, no qual prejudica todas as parcelas da sociedade.

Pra começar a inserir em seu catálogo a literatura russa, a Via Leitura lança a clássica obra De Quanta Terra Precisa um Homem, do renomado mestre literário russo Liev Tolstói. Considerado um dos maiores nomes da literatura mundial, o escritor é reconhecido por defender o pacifismo e uma vida mais modesta.

A obra lançada neste mês pela Via Leitura alude exatamente aos questionamentos de vida de Tolstói, pois neste título ele discorre sobre as ambições humanas e o orgulho das pessoas, que tornam os objetos mais importantes que os próprios princípios. Trata-se de uma tradução distinta, de um conteúdo de grande valor literário, além de se mostrar atemporal considerando que cada vez mais o homem se torna ganancioso.

O livro trata-se de um conto sobre Pahóm, um camponês simples, que acaba por escutar uma conversa entre sua mulher e a cunhada sobre as vantagens e desvantagens de viver no campo versus cidade, e chega à conclusão que a solução para se viver bem é possuir terras.

Tentado pela ambição, Pahóm desafia o Diabo: “Tivéssemos o suficiente (terra), nem mesmo o Diabo eu temeria!”. A partir disso, o próprio Diabo lança o desafio e permite que o pobre camponês obtenha muitas terras. O desfecho, surpreendente leva o leitor a repensar quais são os verdadeiros valores na vida. Esta história mostra o quanto a vaidade e cobiça podem levar o homem ao fundo do poço. Enfim, De Quanta Terra Precisa um Homem?

Tolstoi, que foi um especialista em criar enredos sóbrios e cheios de observações do comportamento humano, teceu este conto com um desfecho imperdível!

 Sobre o autor: 
Liev Tolstói (1828- 1910) destacou-se no panteão dos grandes mestres russos da literatura do século XIX, ao lado de nomes como Dostoiévski, Turgueniev e Tchecov. Não bastasse a honra de ser um dos proeminentes de um círculo tão grandioso de escritores, Tolstói foi um ativista ferrenho do pacifismo, propagandeando durante toda a sua velhice os benefícios de uma vida simples e próxima da natureza. Atormentado por questões familiares, fugiu de casa aos 82 anos, falecendo de pneumonia, sozinho, em uma estação de trem. Suas obras de maior destaque são Guerra e Paz e Anna Karenina.

Ficha técnica

Gênero: Literatura estrangeira
Editora: Via Leitura (Edipro)
Preço: R$ 25
ISBN: 9788567097411
Edição: 1ª edição, 2017
Tamanho: 13,5x17
Número de páginas: 80

Fonte: Redação Sucesso com Assessoria de Imprensa

Em De Quanta Terra Precisa um Homem, Denise Sales, Editora Sucesso,
Mais lidas
  1. Soluções inteligentes e funcionalidade
  2. Educação Infantil: um mundo de descobertas
  3. Cuidar das articulações garante vitalidade
  4. Ouvir bem é vida
  5. Disfunção eréctil: será que vou ter?
Leia também
  1. Artistas brasileiros completam a maior pintura...
  2. Turma da Mônica: Religiosidade e disciplina para...
  3. Aplicativo “Agora é Lei no Paraná” permite...
  4. Um empecilho chamado “imunidade parlamentar”
  5. Igualdade de gênero. O que é isso?