Revista Sucesso

Atualizado em

Nutrição e as mulheres

Organismo feminino tem necessidades energéticas e nutricionais específicas, aponta nutricionista

Da redação


nutricionista Andrieli Botton

As mulheres diferem, em muitos aspectos, dos homens. Um deles é em relação às necessidades nutricionais. Por isso, segundo a nutricionista Andrieli Botton, elas devem dedicar atenção especial à alimentação. “A primeira diferença está na composição corporal. Por possuírem menos massa magra que os homens, as mulheres têm menor necessidade energética. Se ingerirem mais que o necessário, acabam ganhando peso”, justifica. Andrieli é especialista em nutrição clínica e alimentos funcionais, mestranda em exercício físico na promoção da saúde e docente nos cursos de nutrição e educação física. Segundo a especialista, as alterações hormonais, mês a mês e ao longo de toda a vida, também ajudam a alterar as necessidades nutricionais femininas.

“Embora se trate de um processo natural do organismo, a menopausa pode ser bastante incômoda para as mulheres, chegando para cada uma em momentos diferentes. As alterações hormonais podem causar, entre outros sintomas, retenção líquida, alteração de peso, irritabiidade, sonolência, cansaço, alterações na pele e cabelo e maior susceptibilidade a algumas infecções”, afirma. A boa notícia, segundo Andrieli, é que muitos desses sintomas incômodos podem ser amenizados por meio de uma dieta alimentar equilibrada.

“O consumo de alimentos antiinflamatórios e antioxidantes – como vitaminas E e D – ajuda a amenizar os efeitos da menopausa. A vitamina C, além de antioxidante, auxilia na cicatrização, ajudando a prevenir a flacidez e melhorar a pele. O ômega 3, por sua vez, é um potente anti-inflamatório”, revela. A nutricionista ressalta que todos os macronutrientes (carboidratos, proteínas e lipídeos) são extremamente importantes para o funcionamento do organismo e, por isso, não devem ser abolidos da dieta.

Por outro lado, alimentos com gorduras trans, alto teor de sódio, carboidratos simples (contidos em bebidas, muitos sucos e doces em geral), assim como alimentos com corantes e adoçantes devem ser evitados sempre. “Boa parte da nossa saúde na vida adulta está associada à amamentação e infância. Daí a importância do acompanhamento médico e nutricional para a prevenção desde sempre. Alguns fatores são imutáveis, por conta das condições genéticas, mas aquilo que se pode mudar deve ser trabalhado na qualidade de vida, que está diretamente ligada à alimentação”, explica Andrieli. A profissional lembra que cada caso deve ser avaliado individualmente, pois as dietas devem respeitar o organismo e rotina de cada um, para não gerar estresse. “Ter equilíbrio é a chave”, conclui.

 

Andrieli Botton, nutricionista
Cinagawa Clínica e Cirurgia Ortopédica
Rua Senador Souza Naves, 1283
Londrina PR - (43) 3323-9630

revista bem-estar, sucesso, nutricionista, Andrieli Botton,Cinagawa Clínica
Mais lidas
  1. Soluções inteligentes e funcionalidade
  2. Educação Infantil: um mundo de descobertas
  3. Cuidar das articulações garante vitalidade
  4. Ouvir bem é vida
  5. Disfunção eréctil: será que vou ter?