Revista Sucesso

Atualizado em 16/08/2018

Saúde

Mitos e Verdades sobre a Meningite

Confira abaixo alguns mitos e verdades com esclarecimentos da equipe médica da GSK Brasil.

Da redação

A Meningite Meningocóccica é uma infecção bacteriana séria que pode causar sequelas e até mesmo levar a óbito. Por isso, é importante conhecer a doença e saber como se prevenir. Confira abaixo alguns mitos e verdades com esclarecimentos da equipe médica da GSK Brasil.

1.   Qualquer pessoa, em qualquer faixa etária, tem a possibilidade de desenvolver a doença meningocócica? VERDADE

A Doença Meningocócica (DM) pode acometer indivíduos em qualquer faixa etária, porém a doença é mais comum em bebês, crianças até cinco anos, e mais rara em idosos.2,5

2.   A meningite meningocóccica é transmitida de pessoa para pessoa, através de secreções respiratórias? VERDADE

Os meningococos, bactérias que causam a doença meningocócica, podem ser transmitidos de uma pessoa para outra por meio do contato direto com gotículas respiratórias através de tosse, espirro, beijo, beber no mesmo copo ou comer com talheres de outra pessoa. Aproximadamente 10% das pessoas, principalmente adolescentes e adultos jovens, possuem a bactéria na garganta ou nariz sem desenvolver a doença – são chamados de portadores assintomáticos.2

 3.   Após a exposição à bactéria (meningococo), as manifestações iniciais da doença demoram para se desenvolver? MITO

A doença caracteriza-se por possuir um início abrupto e evolução rápida, podendo levar ao óbito entre 24 e 48 horas.2 O período médio de incubação da infecção pelo meningococo é de 4 dias, com um intervalo de 2 a 10 dias.1 Geralmente ela se manifesta como meningite, que é uma infecção das membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Uma outra forma mais grave da doença é uma infecção do sangue, chamada de meningococcemia.1,2 Ambas podem ocorrer concomitantemente.

 4.   Os primeiros sintomas da doença são coceira e diarreia? MITO

Os sinais e sintomas iniciais da doença meningocócica — incluindo febre, irritabilidade, dor de cabeça, perda de apetite, náusea e vômito — podem ser confundidos com outras doenças infecciosas. Na sequência, o paciente pode apresentar manchas arroxeadas na pele, rigidez na nuca e sensibilidade à luz. Após 15 horas, o quadro clínico geralmente evolui para confusão mental, convulsão, sepse e choque, falência múltipla de órgãos e risco de morte.

 5.   A meningite meningocóccica pode deixar sequelas ou levar à óbito? VERDADE

Mesmo quando a doença é detectada precocemente e tratada de maneira adequada, de 10% a 20% dos indivíduos acometidos sofrem com danos cerebrais, perda auditiva ou dificuldade de aprendizado. A doença pode ainda ser fatal. Estima-se a ocorrência de pelo menos 500 mil casos de doença meningocócica por ano no mundo, com cerca de 50 mil óbitos. desafio maior é o diagnóstico precoce, já que os sintomas são inespecíficos como os de uma virose.

 6.   Uma das principais formas de prevenção é a vacinação? VERDADE

A vacinação é considerada a forma mais eficaz na prevenção da doença. Outras formas de prevenção são evitar aglomerações, e manter os ambientes ventilados e limpos. É possível minimizar o risco de aquisição da doença através dessas medidas preventivas, para mais esclarecimentos o médico deve ser consultado.

 

 Referências:

 1.        WORLD HEALTH ORGANIZATION. Meningococcal Meningitis Factsheet N°141. 2012. Disponível em no site. Acesso em 19 mar. 2018.

2.        CASTIÑEIRAS, TMPP. et al. Doença meningocócica. In: CENTRO DE INFORMAÇÃO EM SAÚDE PARA VIAJANTES. Disponível aqui.  Acesso em 20 mar. 2018.

3.        PARANÁ. Secretaria de saúde. Doença meningocócica – CID10 A39: doenças infecciosas e parasitárias. Disponível aqui . Acesso em: 17 mar. 2017.

4.        THOMPSON MJ, et al. Clinical recognition of meningococcal disease in children and adolescents. Lancet. 2006;367(9508):397-403.

5.        Pesquisa realizada na base de dados DATASUS, utilizando os limites “SOROGRUPO” para Linha, “FAIXA ETÁRIA” para coluna, “CASOS CONFIRMADOS” para Conteúdo, “2017” para períodos disponíveis, “MM”, “MCC” e “MM+MCC” para etiologia, e “TODAS AS CATEGORIAS” para os demais itens. Base de dados disponível aqui.. Acesso em: 29 mar. 2018.

6.        BRASIL. Ministério da Saúde. Meningites (Saúde de A a Z). Disponível aqui.  Acesso em: 11 abr. 2018

 

Fonte: In Press Porter Novelli

Meningite, Editora Sucesso, Sucesso Londrina, Revista Sucesso, Revista Bem-estar
Mais lidas
  1. Soluções inteligentes e funcionalidade
  2. Educação Infantil: um mundo de descobertas
  3. Cuidar das articulações garante vitalidade
  4. Ouvir bem é vida
  5. Disfunção eréctil: será que vou ter?
Leia também
  1. Dores crônicas têm impacto direto na saúde e...
  2. Dores nos ombros: o que pode ser?
  3. Câncer de mama: ainda um tema cercado por mitos
  4. Tatuagem: prós e contras do procedimento
  5. Depressão e ansiedade: atividades físicas são...