Revista Sucesso

Atualizado em 30/11/2016

Tratamentos

Medos e Fobias no EMDR

Psicóloga Elciane Prates escreve sobre a proposta de tratamento para medos e fobias na terapia EMDR

Da redação

O EMDR é uma proposta de tratamento para medos e fobias, trata-se de uma abordagem de psicoterapia breve e focal, um processo semelhante ao que se passa quando sonhamos na chamada fase REM, durante a qual os movimentos oculares rápidos facilitam o processamento do material inconsciente. Quando surge uma situação traumática como medos e fobias, esta pode ficar bloqueada no sistema nervoso da pessoa com a recordação original. A intervenção permite que a pessoa identifique e separe as sensações afetivas do medo ou fobia das suas interpretações cognitivas, ajudando a dessensibilizar as memórias traumáticas.

A fobia e o medo são conceitos semelhantes, o que difere é a forma da intensidade da reação. O medo tem como característica um aumento na capacidade de atenção, de resposta, bem como níveis de adrenalina. É saudável e importante termos medo, ele não toma decisões, mas proporciona uma autoproteção à vida. O fóbico luta com seus conflitos emocionais, tentando reprimir seus pensamentos e impulsos perturbadores, entendidos como medos irreais, ele sente o perigo como real e o associa a lugares ou objetos, afetando negativamente sua vida. As fobias são divididas, segundo o DSM-IV, em 5 grandes grupos: Animais (gatos, cães, etc.); Ambiente Natural (chuva, terremoto, relâmpagos, etc.); Situações (medo de falar em público, andar de avião, dirigir, espaços fechados, etc.); Sangue (agulhas, operações, etc.); e Outros (medo do medo, dores, morrer, etc.).

O paciente é orientado a revisitar o incidente traumático através do reprocessamento dos movimentos bilaterais. Estimula-se o sistema de processamento da informação, permitindo assim checar as crenças negativas construídas no momento do medo. Com isso, gera-se um fluxo de informação inter-hemisférica através do corpo caloso, tendo como único elemento necessário colocar o tema a ser trabalhado junto ao paciente. Contudo, durante a fase de reprocessamento, as memórias que contêm material traumático são assimiladas e integradas. A terapia também promove o desenvolvimento de um senso do Eu renovado e coerente, o qual não pode ser alcançado sem a participação igual e balanceada dos dois hemisférios cerebrais com o trabalho em harmonia nas áreas corticais e subcorticais do cérebro. No entanto, o cérebro recebe ajuda necessária para processar o fato e arquivá-lo. Perde-se assim a carga negativa associada à situação, e muitas vezes são recuperadas as lembranças positivas vinculadas a isso e anteriormente possibilitando uma saúde física e emocional ao indivíduo.

Elciane Prates, psicóloga clínica na Psicam, certificada pelo EMDR Institute, EMDRIA e EMDR Ibero-América (CRP – 08/18436)
Psicam – Clínica de Psicologia Integrada com Abordagem Múltipla
Avenida Higienópolis, 70, sala 73, Londrina - PR
(43) 3028-0805

medos, fobias, psicologia, tratamentos, terapia, emdr
Mais lidas
  1. Soluções inteligentes e funcionalidade
  2. Educação Infantil: um mundo de descobertas
  3. Cuidar das articulações garante vitalidade
  4. Ouvir bem é vida
  5. Disfunção eréctil: será que vou ter?
Leia também
  1. Cursos de estética com prática e certificação
  2. Tratamento mega redutor de gordura localizada e...
  3. Mamografia no Brasil: o pior cenário dos...
  4. Entenda como o ômega 3 pode ajudar quem tem...
  5. Varizes são um problema de saúde: conheça os...