Revista Sucesso

Atualizado em

Qualidade de vida

Envelhecer sim, mas com qualidade de vida!

Clínica Invita investe na atualização de estudos e serviços voltados ao envelhecimento humano

Da redação

Segundo o IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a estimativa de crescimento da população de idosos em 2070, no país, é acima de 35%, sendo que em 2015 era de 11,7%, e com expectativa média de vida de 75,4 anos.

Diante desses dados, cada vez mais a Clínica Invita vem investindo na qualidade de estudos e serviços voltados ao envelhecimento humano. No setor de fonoaudiologia, a fonoaudióloga Cristiane Fumagalli, que trabalha ao lado da psicóloga Luciana Negrão, especializou-se no diagnóstico e tratamento, buscando devolver melhorias nos aspectos da qualidade da comunicação e audição. A profissional, especialista em Processamento Auditivo Central, participa desde 2004 do GEPAT – Grupo de Estudos do Processamento Auditivo em Terapia, sob coordenação da Fga. Dra. Ingrid Gielow, de São Paulo, capital. Nos aspectos auditivos, além da indicação e adaptação de aparelhos auditivos da marca Unitron, que atuam na estimulação auditiva, a especialista traz ao Brasil diretamente da Espanha o Sistema de Estimulação Neuro Auditiva (o SENA System), metodologia que não depende da resposta do paciente e tem como objetivo trabalhar a base da recepção do som e, em conjunto com a reabilitação do processamento auditivo, visa unir a correta recepção do som e a atribuição do significado ouvido.
Isso colabora para facilitar o período de adaptação auditiva para o uso de aparelho ou como forma de adiar aparecimento dos sintomas do envelhecimento como, por exemplo, a dificuldade em conversar onde tem muita gente, o incômodo sonoro (pela concorrência de ruidos) quando está presente em festas, teatros ou eventos com muitas pessoas, em reuniões familiares com adultos e crianças falando ao mesmo tempo. Desta forma, evita o isolamento social e, por consequência, o início dos sintomas depressivos, tão comuns nessa população.

A Neuropsicologia também pode contribuir muito para a qualidade de vida do idoso  acompanhando o processo normal ou patológico do envelhecimento. Os testes e tarefas neuropsicológicos irão examinar as funções cognitivas e estabelecer uma correlação entre a função avaliada e as áreas cerebrais envolvidas. Os resultados auxiliam profissionais como o médico, psicólogo, fonoaudiólogo, fisioterapeuta ou o terapeuta ocupacional, a estabelecerem o raciocínio associativo entre as habilidades preservadas e alteradas. Tais habilidades são memória, capacidade de aprendizagem, atenção, linguagem, cálculo, raciocínio abstrato e juízo crítico, funções práticas, habilidades viso-construtivas e funções gnósticas.
Após a realização da avaliação, o neuropsicólogo fará o planejamento das estratégias terapêuticas para preservar as habilidades saudáveis e reabilitar as que estão prejudicadas. São realizados exercícios e tarefas durante as sessões de atendimento e também são sugeridas atividades que o idoso poderá executar no seu dia a dia. Desta forma, ele pode tornar-se mais consciente de suas habilidades, treinar para recuperar algumas funções debilitadas  com a finalidade de manter sua independência, fortalecer sua autoestima e autoconfiança, permitindo-se viver o processo de envelhecimento de maneira saudável, ativa, proporcionando-lhe maiores condições de qualidade de vida.

Invita Fonoaudiologia e Psicologia
Av. Bandeirantes, 1021, sala 105
(43) 3323-2476
Londrina PR

Qualidade de vida, Cristiane Fumagalli, fonoaudiologia londrina, Luciana Negrão, psicologia londrina, Revista Sucesso, Revista Bem estar
Mais lidas
  1. Soluções inteligentes e funcionalidade
  2. Educação Infantil: um mundo de descobertas
  3. Cuidar das articulações garante vitalidade
  4. Ouvir bem é vida
  5. Disfunção eréctil: será que vou ter?
Leia também
  1. “Dezembro Laranja” alerta para o risco do...
  2. Uso indiscriminado de adoçante pode engordar...
  3. Qualidade da água na bacia do rio Doce piora...
  4. Prática de corrida ajuda no combate ao câncer...
  5. Sobre os excessos de hoje