Revista Sucesso

Atualizado em 29/08/2016

Educação

Descobrir o mundo através dos sentidos

Para pedagoga Luciana Zangaro, experimentações são essenciais na Educação Infantil

Da redação


A criança, quando entra na escola de Educação Infantil, experimenta o seu primeiro contato com outro ambiente fora da família, é o início da socialização, da convivência com o grupo de iguais, da aquisição da linguagem, de grande desenvolvimento motor, físico, emocional, afetivo, cognitivo. É, portanto, na Educação Infantil que ocorre o seu maior desenvolvimento, período em que, segundo os especialistas, forma-se o maior número de sinapses.

Baseado nisso, “podemos dizer que a estimulação é essencial quando a criança está na Educação Infantil, pois é quando ela começa a ampliar seus conhecimentos e os estímulos irão favorecer o aprendizado, o desenvolvimento integral, preparando a criança para a escolarização futura”, afirma Luciana Moura Zangaro, pedagoga e socióloga da Galileo Kids, escola especializada em Educação Infantil.

Que estímulos são fundamentais nesta etapa do desenvolvimento da criança? - De acordo com Luciana, todos os estímulos são importantes. Estímulos motores, pois a criança precisa explorar o ambiente em que vive. Segundo Luciana, colocar pequenos obstáculos no caminho, por exemplo, auxilia na organização do movimento. Estímulos que ajudam no desenvolvimento de habilidades socioemocionais, como autonomia, autoestima, confiança, solidariedade, entre outros. Estímulos que contribuem para o desenvolvimento da linguagem, como brincadeiras e atividades que envolvem cantigas, parlendas e histórias. “As rodas de conversas são essenciais para o entendimento quanto a escutar o outro e discutir. O educador deve ser mediador nesse diálogo”, complementa. Estímulos sensoriais, brincadeiras que servem para desenvolver a imaginação, e a experimentação global do corpo e as brincadeiras que utilizam objetos estimulam o toque, de forma que a criança perceba e diferencie diversos tipos de texturas, tamanhos e formas, auxiliando no desenvolvimento da motricidade fina.

“Na Galileo Kids gostamos muito de trabalhar com a estimulação sensorial, pois as brincadeiras sensoriais estimulam a inteligência e a criatividade das crianças através dos cinco sentidos e ensinam as crianças a se sentirem mais confortáveis com o mundo que as cerca” – defende Luciana – “Quando a estimulação sensorial acontece em uma atmosfera alegre e relaxada, isso contribui para que a criança desenvolva uma relação positiva com o próprio corpo, o que por sua vez a encoraja a ser mais sociável e interativa.”

Jogos, brincadeiras e outras atividades sensoriais, de acordo com a pedagoga, permitem que as crianças aprendam mais e melhor. Isso ocorre, pois o cérebro tem a oportunidade de acionar diferentes canais para a entrada de conhecimento, contemplando todos os estilos de aprendizagem. “Movimentos, texturas, aromas, sabores, são informações que podem ser muito bem integradas ao que ouvimos e vemos, para enriquecermos ainda mais a capacidade de discriminação e aprendizagem do cérebro.”

De acordo com Luciana Moura Zangaro, na Galileo Kids, as crianças ficam encantadas com as estimulações sensoriais, motoras e cognitivas que são realizadas no dia a dia da escola. Utilizando materiais diversos, com cores e texturas diferentes, atividades simples e prazerosas estimulam o desenvolvimento e geram aprendizagem significativa para todos.

 
Luciana Moura Zangaro, diretora
pedagógica da Galileo Kids,
escola especializada em Educação Infantil

Rua Denis Papin, 450 – Jd. Jamaica | (43) 30391099 | Londrina /PR
facebook.com/GALILEOKIDS | www.escolagalileokids.com.br

revista sucesso, bem-estar, Galileo kids, Luciana Moura Zangaro
Mais lidas
  1. Soluções inteligentes e funcionalidade
  2. Educação Infantil: um mundo de descobertas
  3. Cuidar das articulações garante vitalidade
  4. Ouvir bem é vida
  5. Disfunção eréctil: será que vou ter?
Leia também
  1. Férias escolares, os riscos de acidentes e como...
  2. O BRASIL MERECE MAIS!
  3. Confiança que gera esperança
  4. Um hiato entre o medo e a esperança
  5. MOVIMENTO LIVRE DOS BEBÊS: desenvolvimento e...