Revista Sucesso

Atualizado em 17/05/2018

Para Construir

Corrosão de armadura: a doença que destrói sua construção silenciosamente

O fenômeno da corrosão das armaduras é mais frequente do que qualquer outro fenômeno de deterioração das estruturas de concreto armado, comprometendo-as tanto do ponto de vista estético quanto do ponto de vista da segurança.

Da redação

Se você encontrar uma trinca em sua obra, casa, escritório, nunca mande o pintor tampar com uma massa, ou um pedreiro que acha uma solução não técnica, como “costurar” a trinca. Isso se assemelha a ir a um dentista e ele coloca um acabamento branco sobre a cárie sem eliminá-la. Você vai perder o dente, pois a cárie continuará lá. No caso da “costura”, o procedimento é muito comum, mas totalmente inadequado, na maioria das vezes a trinca volta ou acontece como a massa no dente; a causa da trinca continua lá, só você não está vendo.

A causa maior é uma corrosão de armadura em alguma peça estrutural, vigas ou pilares. A corrosão é a interação destrutiva de um material com o ambiente, seja por reação química ou eletroquímica. A corrosão de armadura no concreto armado é um fenômeno que só acontece quando as condições de execução da estrutura não foram feitas adequadamente.

O fenômeno da corrosão das armaduras é mais frequente do que qualquer outro fenômeno de deterioração das estruturas de concreto armado, comprometendo-as tanto do ponto de vista estético quanto do ponto de vista da segurança.


O que causa a corrosão de armaduras?

Para evitar a corrosão de armaduras é necessário um acompanhamento adequado de um engenheiro ou arquiteto na execução da obra e a concretagem só poder ser executada com a aprovação do responsável pela execução.


Por que a corrosão de armaduras é realmente preocupante?

A corrosão de armaduras pode levar a sérios danos estruturais. Um dos problemas é na hora de concretar. A armadura deve ficar de acordo com o projeto, isto é, com uma distância de 2,0 cm a 2,5 cm de profundidade da face da viga ou pilar. Isso é possível com espaçadores plásticos, que podem ser adquiridos com baixíssimo custo em bons depósitos de materiais e casas especializadas em materiais de impermeabilização.

Por falar em impermeabilização, esta deve ser executada com cuidado, pois os vazamentos não são apenas estéticos, eles corroem as armaduras. Por motivo de falha de impermeabilização. E, lembrando, o concreto não é impermeável e isso acaba expondo as armaduras. A combinação de ferro com água resulta em ferrugem e a ferrugem é a cárie da armadura. Sem as armaduras, que equivalem aos ossos da estrutura, tem a fragilidade do sistema, começa a trincar a edificação e, quando for reparar, o custo pode ser tão alto que, em alguns casos, compensa demolir e reconstruir.

A corrosão das armaduras é a patologia mais recorrente nas estruturas de concreto armado, causando problemas tanto na estética quanto na utilização e segurança das estruturas. O processo corrosivo se caracteriza por provocar a destruição da armadura e, consequentemente, danos estruturais. Os sinais mais comuns são: fissuras e trincas, manchas na superfície, desagregações, deformação excessiva, destacamento do concreto, entre outros.

Em resumo, a corrosão das armaduras em estruturas de concreto é considerada uma anomalia grave com consequências que podem levar ao colapso estrutural, com desabamentos de edifícios, marquises, pontes, entre outros.  Após iniciada, caso não haja intervenções de tratamentos adequados e recuperações, a corrosão adquire uma constante de progressão ininterrupta em praticamente 100% dos casos.

Deve ser preocupante também a limpeza de pisos de garagem com produtos à base de cloro. Estes produtos também corroem as armaduras silenciosamente. É importante refazer a impermeabilização no pé dos pilares em subsolos de edifícios.

São vários procedimentos, de acordo com a origem do problema, o importante é detectar antes que cause mais trincas e o custo do reparo fique muito caro. Ao procurar um engenheiro ou arquiteto para identificar e fazer os reparos, verifique se este profissional possui especialização em patologias de construção, pois o custo de uma má escolha pode comprometer o seu patrimônio.


Quais as principais formas de tratamento desse mal?

Para que não haja exposição da armadura as normas brasileiras recomendam um cobrimento mínimo de concreto sobre as seções de armadura. Ou seja, deve haver um volume mínimo de concreto ao redor da ferragem para evitar a corrosão. Caso o cobrimento mínimo não seja respeitado, a estrutura corre sério risco de não atender às exigências técnicas.

Evitar “ninhos” de concretagem, este detalhe é muito simples de executar para ter uma estrutura saudável. Mas se a corrosão realmente ocorrer, a recuperação estrutural deve começar pelo diagnóstico das possíveis causas, feito por um especialista.

Construção civil, corrosão de armadura, dano estrutural, Maria Clarice Ribeiro, Londrina
Mais lidas
  1. Soluções inteligentes e funcionalidade
  2. Educação Infantil: um mundo de descobertas
  3. Cuidar das articulações garante vitalidade
  4. Ouvir bem é vida
  5. Disfunção eréctil: será que vou ter?
Leia também
  1. Rabelo & Secco Engenharia entrega o Edifício...
  2. Como prevenir problemas e atrasos em obras
  3. Aquisição de imóveis. Como escolher um bom...
  4. O que é a Norma de Desempenho NBR 15575
  5. Construção civil: Brasil em 4º lugar do mundo