Revista Sucesso

Atualizado em

Estilo de vida

Cartas podem ser enviadas ao papa Francisco

Em 29 de junho, é comemorado o Dia do Papa. Para quem quer aproveitar a ocasião e felicitar o papa Francisco, o Vaticano orienta que o contato seja feito por meio postal.

Da redação

A data que celebra o trabalho do líder da Igreja Católica Apostólica Romana se aproxima.
Em 29 de junho, é comemorado o Dia do Papa. Para quem quer aproveitar a ocasião e felicitar o papa Francisco, o Vaticano orienta que o contato seja feito por meio postal.

Como o papa não possui endereço de e-mail público, cartas e encomendas devem ser enviadas pelo correio. Todas as semanas, milhares de objetos chegam de todo o mundo ao Vaticano para o pontífice. Um escritório de correspondência, composto de quatro pessoas, é responsável por separar, ler e responder as mensagens. Todas as cartas recebem resposta na mesma língua em que foram escritas originalmente.

O endereço para o envio de correspondência ao papa é:

Sua Santità Francesco

00120 Città del Vaticano.

Data 
 O Dia do Papa é celebrado em 29 de junho em referência a São Pedro, o pai da Igreja Católica, que teria morrido nessa data em 64 d.C.

Serviços 
Para encaminhar correspondência ao Vaticano, é possível usar os serviços internacionais oferecidos pelos Correios, como SEDEX Mundi, aerogramas, telegramas, documento prioritário e econômico e mercadoria econômica e leve.

Para mais informações, procure uma agência de Correios ou acesse o site AQUI

Fonte: Redação com Assessoria de Imprensa

Cartas ao papa, Cartas para o papa Francisco, papa Francisco, Editora Sucesso, Revista Sucesso, Revista Bem-estar
Mais lidas
  1. Soluções inteligentes e funcionalidade
  2. Educação Infantil: um mundo de descobertas
  3. Cuidar das articulações garante vitalidade
  4. Ouvir bem é vida
  5. Disfunção eréctil: será que vou ter?
Leia também
  1. “A fotografia é como um pedaço de mim que...
  2. Consciência corporal, respiração e postura de...
  3. A Amazônia: Pulmão do Mundo ou Diferencial do...
  4. O Mundo Político no Cinema
  5. Qual o futuro das livrarias no Brasil?