Revista Sucesso

Atualizado em 10/05/2018

Saúde

Acúmulo de gordura no fígado: o que é isto?

Existe a doença hepática gordurosa alcoólica, causada pela ingestão excessiva de álcool e a doença hepática gordurosa não alcoólica, a DHGNA. Neste artigo, vamos falar um pouco da não alcoólica.

Da redação

O “acúmulo de gordura no fígado” como é popularmente conhecida a doença hepática gordurosa, é uma doença silenciosa que pode levar à cirrose no futuro, se não for adequadamente tratada. Existe a doença hepática gordurosa alcoólica, causada pela ingestão excessiva de álcool e a doença hepática gordurosa não alcoólica, a DHGNA. Neste artigo, vamos falar um pouco da não alcoólica.

DHGNA é o termo usado para descrever o acúmulo de gordura nas células do fígado em pessoas que não bebem álcool em excesso. Estudos demonstram que cerca de 30% da população ocidental possui Esteatose hepática. Quando são considerados apenas indivíduos diabéticos, a proporção sobe para 80%, sendo mais comum nas pessoas de origem hispânica.

Ainda não se tem uma causa específica para a doença, mas está muito associada à Obesidade, Resistência à insulina, Diabetes, Hipertensão, Hiperlipidemia (excesso de colesterol e triglicérides no sangue), Síndrome metabólica e uso de certos medicamentos prescritos para outras condições, tais como Distúrbios do ritmo cardíaco ou Câncer.

Os pacientes geralmente não apresentam quaisquer sintomas quando eles são afetados com DHGNA. Às vezes, os pacientes podem sentir fadiga, mal-estar geral, e desconforto abdominal.

Mas por que a doença hepática gordurosa não alcoólica preocupa? O simples fato de o paciente ter gordura depositada no fígado aumenta o risco de doenças cardíacas e vasculares em quase 2 vezes. Além do mais, a gordura pode levar à inflamação do fígado causando uma Hepatite, a Esteato-hepatite não alcoólica. Esta pode, dentro de alguns anos, evoluir para cirrose com suas consequências como câncer de fígado e transplante hepático.

O diagnóstico da Esteatose hepática gordurosa não alcoólica é feito por meio de exames de rotina laboratoriais ou de imagem. Uma vez detectada a alteração, é indispensável estabelecer o diagnóstico diferencial com outras hepatites, ou doenças autoimunes e genéticas, ou pelo uso de drogas, uma vez que a enfermidade não apresenta um quadro clínico característico. Porém quando há dúvida no diagnóstico ou em casos mais severos, a biópsia do fígado pode ser necessária.

O tratamento da doença gordurosa hepática não alcoólica e da Esteato-hepatite consiste em modificar os hábitos de vida para perder peso, além de tratar os níveis elevados de açúcar e colesterol quando presentes. Algumas medidas são indispensáveis para prevenir o acúmulo de gordura no fígado ou para reverter o quadro já instalado:

1 - Esteja atento às medidas da circunferência abdominal, que não devem ultrapassar 80 cm nas mulheres e 90 cm nos homens;

2 - Procure manter o peso dentro dos padrões ideais para sua altura e idade. Mas, cuidado, dietas restritivas que provocam emagrecimento muito rápido podem piorar o quadro;

3 - Beba com moderação durante a semana e nos fins de semana também;

4 - Restrinja o consumo dos carboidratos refinados e das gorduras saturadas. Substitua esses alimentos pelos integrais e por azeite de oliva, peixes, frutas e verduras.



saúde, endocrinologia, metabologia
Mais lidas
  1. Soluções inteligentes e funcionalidade
  2. Educação Infantil: um mundo de descobertas
  3. Cuidar das articulações garante vitalidade
  4. Ouvir bem é vida
  5. Disfunção eréctil: será que vou ter?
Leia também
  1. As principais doenças do frio
  2. Junho Lilás: Entenda por que é importante fazer...
  3. Você sabia que seu pet também pode doar sangue?
  4. Ortodontia Preventiva
  5. Implantes Dentários