Revista Sucesso

Atualizado em 11/05/2018

Saúde

A psicologia e a perda de peso

Sabe-se que mais de 80% das pessoas estão acima do peso por causa do “comer emocional”

Da redação


A obesidade, caracterizada pelo excesso de gordura corporal, pode apresentar risco de morte. Sabe-se que mais de 80% das pessoas estão acima do peso por causa do “comer emocional” - comer para aliviar sentimentos indesejados ou para potencializar emoções positivas.

Quando foca-se apenas no peso, ao atingir a meta, volta-se a adquirir o peso perdido, ou mais, pois deixa-se valores importantes da vida de lado. Saber quais são seus valores nas áreas da vida e se empenhar neles enquanto se almeja uma vida mais saudável é a chave para manter a vida em equilíbrio, prevenindo o comer emocional.

O constrangimento e vergonha, em relação ao peso, levam as pessoas a deixarem de fazer coisas importantes, como ir a lugares públicos e até mesmo ter uma vida sexual com seu parceiro. A mente humana é uma máquina de avaliar, categorizar e julgar. Fazemos isso o tempo todo, ao entrarmos em um local, ver alguém, viver uma situação. Soma-se a isso a capacidade de relacionar palavras com objetos e significados. Como a palavra “gorda”. Quais pensamentos, sentimentos e lembranças acompanham essa palavra? Esses comportamentos são automáticos e incontroláveis e podem ser direcionados a nós mesmos. Diversas vezes nossos pensamentos a respeito de nós mesmos não são agradáveis e isso pode ter um peso em nossas ações.

Sentimentos como a ansiedade são frequentemente e erroneamente culpabilizados por nossos comportamentos sabotadores. Travamos uma luta infundada nessa direção, pois não podemos controlar pensamentos, sentimentos, sensações corporais e lembranças. Não se pode deixar de amar alguém, esquecer uma memória, não sentir dor, não pensar em algo, só porque se quer. A sociedade recrimina sentimentos e pensamentos indesejados, nos ensinando e estimulando a nos livrar deles. Mas será essa a solução? Tudo o que é realmente importante pode gerar sofrimento. Tentar fugir disso nos leva a comportamentos de fugas nocivos na vida, como no peso.

A comida pode servir como fonte de fuga, recompensa e prazer. Aprender a lidar com a vontade e o desejo é fundamental. Ao nos privarmos de algo, aquilo gera mais vontade do que quando temos aquilo disponível, nos motivando a ceder a ele.

As pessoas buscam alcançar padrões de beleza surreais, frustrando-se e sentindo-se fracassadas ao não atingi-los, o que as leva ao comer emocional e a um ciclo vicioso, de comer para sentir-se melhor, mas que resulta no aumento de peso e consequentemente em sentir-se pior.

O Mindfulness, técnica de meditação budista de Kabat-Zinn, foi adaptado por áreas, como a psicologia, trazendo benefícios comprovados na qualidade de vida. Na obesidade traz consciência alimentar e disposição para lidar com sentimentos e pensamentos, levando à perda de peso.

A ACT - Terapia de Aceitação e Compromisso - é uma abordagem psicológica, que adaptou o mindfulness como uma de suas estratégias, trazendo as pessoas ao momento presente, onde podemos realmente agir. Nos reconectamos com nós mesmos, vivendo o presente da melhor forma, lidando com sentimentos, pensamentos, sensações corporais e memórias indesejadas.  A ACT ainda nos ensina a caminhar em direção a uma vida satisfatória, com a aceitação do que não se pode mudar e a mudança do que é possível, produzindo resultados positivos ao paciente.  

A psicoterapia auxilia esse processo, ajuda a identificar valores, manter-se nas metas, lidar com obstáculos, sentimentos e pensamentos difíceis, entre inúmeros outros benefícios.

Atuo também com atendimento clínico ao público em geral, realização de avaliação e reabilitação neuropsicológica, orientação profissional e testagem para concursos.



Mayara Petri Martins, psicóloga

CRP 08/18798

Pós-Graduada em Neuropsicologia pela SAPIENS – Londrina

Mestranda em Análise do Comportamento pelo Núcleo Paradigma – São Paulo

psicologia, perda de peso, tratamento, compulsão, Mayara Petri Martins, Londrina
Mais lidas
  1. Soluções inteligentes e funcionalidade
  2. Educação Infantil: um mundo de descobertas
  3. Cuidar das articulações garante vitalidade
  4. Ouvir bem é vida
  5. Disfunção eréctil: será que vou ter?
Leia também
  1. Dores crônicas têm impacto direto na saúde e...
  2. Dores nos ombros: o que pode ser?
  3. Câncer de mama: ainda um tema cercado por mitos
  4. Tatuagem: prós e contras do procedimento
  5. Depressão e ansiedade: atividades físicas são...