Revista Sucesso

Atualizado em 03/03/2017

Educação

A curiosidade e a imaginação na educação infantil

Os por quês despertam a curiosidade da criança, a levam ao mundo da imaginação e lhe trazem conhecimentos

 

Da redação

 Na Educação Infantil, estamos sempre nos deparando com os por quês e comos das crianças. Os por quês são uma constante na vida do ser humano, mas, sobretudo, a partir dos três anos, as crianças fazem questionamentos na tentativa de conhecer o mundo que as rodeia, de buscar explicações para entender o sentido das coisas.
Cabe a nós, educadores, pensar em como podemos ajudá-las a encontrar o sentido daquilo que fazem e vivenciam. E então, novos questionamentos surgem: como podemos dar respostas às suas indagações, aos por quês e  aos comos?
Uma busca um tanto desafiadora, principalmente com as crianças de hoje, que têm pontos de referência diferentes no seu dia a dia, como a família, a escola, os meios de comunicação, os diferentes espaços de socialização que frequentam.
Na Educação Infantil, nos propomos a uma educação da infância onde atuamos como mediadores dos desejos e necessidades das crianças. Observar e ouvir são posturas de valorização dada à criança, de validar sua curiosidade, sua imaginação e de estimular nela o desejo de conhecer o mundo que a rodeia. “Os sentidos que as crianças produzem, as teorias explicativas que elas desenvolvem na tentativa de encontrar respostas são da máxima importância, pois revelam, de maneira vigorosa, como as crianças percebem, questionam e interpretam a realidade e seus relacionamentos com ela.” (Rinaldi, 2012, p.205)
As teorias elaboradas pelas crianças mostram o quanto são curiosas, imaginativas e estão em busca de conhecimentos de si e do mundo. Quando as crianças elaboram seus por quês,  elas estão nos seus momentos de maior criação, pois o que alimenta as observações que as crianças fazem são seus por quês, suas tentativas de dar explicação para si mesmas sobre os objetos e as coisas da natureza. Quando são ouvidas e compartilham com os outros suas hipóteses estão construindo conhecimento e também sua identidade.
O papel do adulto no processo de construção e levantamento de hipóteses do pensar sobre algo é criar possibilidades de concretizar as fantasias infantis, e, nesse sentido, escutar é uma condição inicial para qualquer relacionamento de aprendizado. Os educadores se utilizam dessas fantasias, encorajando as crianças a discutirem as possibilidades de realização de novos experimentos. Com isso, aproveita as explicações e falas das crianças como objeto de estudo do potencial infantil, para cultivar e promover o processo criativo, apontar a importância do respeito às ideias do outro e entender que as crianças criam verdadeiras teorias a partir de suas observações e expressam suas ideias através de múltiplas linguagens.                

 

Luciana Moura Zangaro - Pedagoga e Socióloga,
proprietária escola especializada em Educação Infantil, Galileo Kids
Rua Denis Papin, 450,  Londrina -PR
Tel: (43) 3039-1099

revista bem estar, curiosidade, imaginação, educação infantil, Galileo Kids
Mais lidas
  1. Soluções inteligentes e funcionalidade
  2. Educação Infantil: um mundo de descobertas
  3. Cuidar das articulações garante vitalidade
  4. Ouvir bem é vida
  5. Disfunção eréctil: será que vou ter?
Leia também
  1. Cursos de medicina e veterinária trocam...
  2. Vencendo o medo
  3. Medo, nosso melhor aliado em tempos de crise
  4. Medo e confiança em Deus
  5. Conheça a experiência de quem faz ginástica...