Revista Sucesso

Atualizado em 18/12/2018

Saúde

10 Coisas que Você Precisa Saber sobre Diabetes Gestacional

Diabetes mellitus gestacional (DMG) é o aumento do nível de glicose no sangue durante a gravidez

Da redação
  1. Diabetes mellitus gestacional (DMG) é o aumento do nível de glicose no sangue durante a gravidez. Na maior parte dos casos, o problema, que afeta cerca de 7% das mulheres aparece depois do segundo trimestre e, uma vez diagnosticado, persiste até o fim da gestação.

  2. Fatores de risco maiores para DMG são: idade materna acima de 35 anos, DMG prévio ou crescimento fetal excessivo, recém-nascido com peso maior que 4kg, história familiar de DM2, síndrome dos ovários policísticos e/ou acantose nigricans, sobrepeso e obesidade.

  3. Toda gestante deve ser investigada para DMG na primeira consulta pré-natal por meio de exames de glicemia de jejum e HbA1c.

  4. Recomenda-se também a realização do teste oral de tolerância à glicose em todas as gestantes entre 24 e 28 semanas de gestação.

  5. O diagnóstico de diabetes mellitus gestacional (DMG) é importante para que se possa minimizar os efeitos deletérios sobre a mãe e o feto e identificar as mulheres com risco aumentado de desenvolver diabetes no futuro.

  6. O tratamento, na maior parte das vezes, é feito com orientação endocrinológica e nutricional adequada e, em alguns casos, o uso de insulina subcutânea.

  7. A mulher deve ainda ser incentivada a realizar atividades físicas com exercícios próprios para gestantes, como hidroginástica, caminhadas e aulas de alongamento e relaxamento corporal, porém, sempre respeitando seus limites. Mulheres que não costumam fazer exercícios físicos devem aguardar a orientação do médico sobre o que podem fazer.

  8. Bebês nascidos de mães com diabetes podem apresentar um maior risco de desconforto respiratório, macrossomia, policitemia com hiperviscosidade, hipoglicemia, malformações congênitas, hipocalcemia e hipomagnesemia, mas o controle glicêmico adequado durante a gravidez evita estes tipos de complicações.

  9. Muitas mães se sentem culpadas e temerosas de que o filho venha a ter problemas por conta do diabetes, atitude que dificulta o tratamento. É preciso ter pensamento positivo sempre. O apoio da família e, em determinados casos, de um psicólogo são importantíssimos nesta fase.

  10. Na hora de escolher entre o parto normal ou a cesárea, a decisão é da paciente, que pode tirar dúvidas com o médico obstetra. A escolha do tipo de parto vai depender bastante do estado de saúde da mãe e do controle do diabetes. Por isso, há necessidade de uma assistência médica constante, de preferência com um obstetra especializado em gestações de alto risco. Cada vez aumenta o número de partos bem-sucedidos de gestante com diabetes, com mãe e bebê perfeitamente saudáveis e sem complicações.

                                                                     

                                                       

Danielle Muller Fabretti
Endocrinologia e Metabologia
CRM/PR - 37432


Veja mais posts deste colunista aqui.

Editora Sucesso, Sucesso Londrina, Revista Sucesso, Revista Bem-estar, Endocrinologia, Metabologia, Medicina, Danielle Muller Fabretti, Danielle Muller Fabretti Londrina
Mais lidas
  1. Soluções inteligentes e funcionalidade
  2. Educação Infantil: um mundo de descobertas
  3. Cuidar das articulações garante vitalidade
  4. Ouvir bem é vida
  5. Disfunção eréctil: será que vou ter?
Leia também
  1. Hipertensão arterial
  2. Alimentação e Diabetes
  3. A IMPORTÂNCIA DO PILATES NAS PATOLOGIAS DA...
  4. Termografia é indicada para crianças, idosos e...
  5. Sistema flexo-distração, eficiente para...